quinta-feira, 14 de maio de 2009

O fascínio pela ilha deserta




Dez anos numa ilha deserta... é bem difícil o desafio proposto pelo tema de maio da Tertúlia Virtual! Levar apenas cinco coisas... impossível! Fiquei imaginando o que levaria e fiquei abismada com a quantidade de coisas que eu precisaria para sobreviver numa ilha deserta... Mas só posso levar cinco "coisas", e aqui estão minhas escolhas: marido, filha, filho, nora e a Flora, minha cachorrinha companheira de todas as horas. E como vamos sobreviver por dez anos numa ilha deserta? O ótimo filme "O Náufrago", com Tom Hanks pode nos dar uma idéia das agruras pelas quais sofre um náufrago, pois uma simples dor de dente pode se tornar um verdadeiro martírio!


Com a minha listinha bem família, termina aqui a minha participação? Não! O tema fascinante me levou muito além... Fiquei pensando no significado e na atração que a Ilha Deserta exerce na humanidade desde os tempos mais arcaicos.


Ilha Deserta, um espaço mítico: A ilha é um lugar em que se chega depois de uma navegação ou de um vôo. É um símbolo por excelência de um centro espiritual. Ela representa um mundo em miniatura, um templo, um santuário, um refúgio. A Ilha é simbolicamente um lugar de silêncio e de paz em meio à ignorância e à agitação do mundo profano. A busca da ilha deserta ou desconhecida, é um dos temas fundamentais da literatura, dos sonhos, dos desejos. Na mitologia grega as Ilhas Afortunadas foi o nome dado pelo poeta grego Hesíodo a uma região paradisíaca para onde os heróis e almas favorecidas seriam recebidos pelos seus deuses após a morte. As Ilhas, através dos tempos, se tornaram um dos mitos fundamentais de todas as épocas e uma inspiração para escritores, artistas, filósofos...


Minha memória literária: A lembrança mais remota que tenho sobre o tema da Ilha Deserta, foi a de um livro da minha meninice chamado "A Ilha Perdida", de Maria José Dupré, considerado um clássico da literatura juvenil brasileira. Adorei o livro, que narra a história de dois meninos, Eduardo e Henrique, que resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrem na ilha um velho sábio que os ensina o amor e o respeito à natureza. Mais tarde li "As Aventuras de Robinson Crusoé", clássico da literatura mundial escrito em 1719 por Daniel Defoe, que simboliza o mito da solidão de um náufrago numa ilha deserta. Bem mais tarde (1962), li o romance "A Ilha", de Aldous Huxley. Este romance é a expressão dos sonhos de liberdade da geração flower power: amor livre, religiosidade, livre expressão das emoções, antidogmatismo, diversidade, num ambiente de reverência à natureza.


Ilhamania: É a irresistível atração por ilhas, desertas ou não. Esse termo foi criado pelo escritor Lawrence Durrell (autor do maravilhoso "Quarteto de Alexandria", do qual já fiz um post AQUI). Um dos primeiros maníacos por ilhas foi o Imperador Romano
Tiberius (42 BC-AD 37) que cansado de Roma, se refugiou na ilha de Capri. Bem mais tarde, o Capitão James Cook explorou o Pacífico e conta-se que não queria mais voltar à Inglaterra. Outro ilhamaníaco foi Herman Melville , famoso por seu livro Moby-Dick. Escritores do século 19 que também tiveram atração pelas ilhas foram Robert Louis Stevenson, Jules Verne, Jack London e Joseph Conrad.


Famosos e milionários: A atração pela ilha deserta leva muitos artistas e milionários a desejarem possuir uma ilha deserta e privada. Marlon Brando, John Lennon, Diana Ross, Ted Turner, Mel Gibson, Aristotle Onassis, Bill Gates, Malcom Forbes (que inclusive publica em seu site a lista das "As Mais Caras Ilhas Privadas" ), são alguns dos exemplos de uma lista bem grande.

Turismo: A Ilha Deserta também é um atrativo especial do turismo, que acena com locais paradisíacos, um verdadeiro refúgio para os que podem pagar por esse luxo sofisticado.


Assim, o tema da Ilha, da Ilha Deserta e do Náufrago, inspirou a criação de uma diversidade imensa de livros, filmes, pinturas, séries de tv, jogos eletrônicos, cartoons, sites, memes em blogs...

A Ilha Perdida e Robinson Crusoé



O que você levaria para uma Ilha Deserta?




O Náufrago e Lost (Série TV)




Compre sua Ilha: Mercado Imobiliário e Turismo



Ilha privada dos atores Eddie Murphy e Mel Gibson.



Jogos Eletrônicos e Cartoons

Fontes: Dicionário de Símbolos, de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant, Editora José Olympio, Rio de Janeiro, 1988; Google e Wikipedia.

24 comentários:

Maria Augusta disse...

Sonia, é mesmo impossível planejar cinco coisas para levar para uma ilha deserta, as necessidades para viver e sobreviver são tão grandes na nossa concepção...gostei da visão geral que você dá sobre como a literatura, a televisão e o cinema tratam o tema.
Parabéns pelo post!
Um grande beijo.

claude disse...

Thank you Sonia to subscrib yourself as bloggerfriend on my blog. I appreciate alot.

claude disse...

My husband would like to live on a "ihla deserta" with no TV. not me !
Yes, but I need a television, I need my computer but I love coconutrees. That is the reason why U have some palmtrees in my garden.

Daniel und die Delphine disse...

Gostei do play station

Elma Carneiro disse...

Sonia, dessa forma você viverá mais de 10 anos nessa ilha. Você escolheu pessoas que fazem parte de sua vida, a familia que lhe oferece proteção e calor.
Espero que não tenha dor de dentes como no Náufrago.
Certamente nada vai lhe faltar. Terá companhia, amor, ajuda, apoio e a familia pode até aumentar.
Riquíssima a sua participação com tanta informação sobre o tema Ilhas, que faz o estilo do seu Imagens&Leituras.
Perfeito e parabéns.
Felicidades!!! adorei.
Beijos

Georgia disse...

Sonia eu li a Ilha perdida. Viajei agora...

Um beijo grande

Iêda disse...

Nossa, eu também achei difícil não levar tanta coisa, mas... enfim! rs Adorei todas as suas colocações. Bem criativa!
beijão

Pai dos trigemeos disse...

Sonia, adorei todo o post, alem da lista. Passei no blog folhas da relva e encontrei uma magnifica foto de uma pitangueira. Minha boca se encheu de agua e meus olhos tambem. Pinaga eh minha fruta, desde a infancia...ate hoje fico curioso pra saber que lugar eh esse que voce mora...parece uma represa...maravilhoso!
Alias, a sua ilha era a mais bonita de todas...
Fiz duas listas, uma em cada blog!
ostrigemeos.blogspot.com
octaviolacombe.blogspot.com
beijos

Nanda Botelho disse...

Gostei das imagens e do complemento mítico sobre a ilha, acho que ela simboliza,nosso desejo de reclusão necessário para uma saúde mental.

E vi que o mais importante para vc é sua família, parabéns!

Bjs!

disse...

Sônia ...família não seria sempre a escolha de muitos...mas como vejo pava (assim como para mim) é tudo...esta tua ilha está um manancial de informções ...maravilha..beijão

Lizete Vicari disse...

Sonia, como sempre impecável!
Adorei a tua postagem! Aliás ,como sempre.
Grande beijo. lili

chicoelho disse...

Sonia
Se eu tivesse lido seu post antes não levaria nada para o corpo,somente material para enriquecer a alma.
bjs

Blog do Beagle disse...

INteressante sua postagem. Gostei muito. Elza

Lengo D'Noronha disse...

Bacana sua abordagem sobre Ilhas.
Acho que pelo menos uma vez na vida as pessoas pensam em ir para uma ilha deserta, seja para fugir, 'para por as coisas em ordem', por estar de saco cheio ou pura aventura.
É um desafio que fazemos a nós mesmos. Será que sobrevivo sem a parafernália de objetos industriais?
Qual é o meu limite?

Mas como é bom estar de bem com a 'famiglia', no?

Abraço.

Dalva disse...

Teu post é uma viagem... adorei!

Beijos!

Pietro disse...

Sonia, this is a very interesting and fine post. I didn't think you would be posting so soon! As regards the translation, I've used the Google Translator (on the top of your blog) into Italian: it's good. But I'm glad if you send me your translation, of course!
My email is:
pietro.brosio@alice.itThank you so much, Sonia.
Have a good weekend!

OldOldLady Of The Hills disse...

Thanbk you dear Sonia, for your translation....! I have always thoight of a Desert Island as a rather romantic place....Of course, if I had to survive the way Tom Hanks did---Well, I'm not sure I would have made it...lol! Though I know we are all more resourceful than we can imagine, if need be.
I love what and who you would take with you...And of course, it makes perfect sense. Maybe Sweetie and I could join you on YOUR Island?? (lol) I would need my TV and a VCR...lol!

Eduardo P.L disse...

Sonia,

que maravilha de POSTAGEM! E eu que estava reclamando com a Elma da não participação de vocês!!!! Ela nos deu o cano, mas você se superou! E olha que superar a SONIA não é fácil! Só hoje consegui visitar a terceira coluna dos inscritos! Ontem foi um corre corre medonho! Ser funcionário de aduana não é fácil!

Muito, mas muito obrigado por ter feito uma postagem tão completa! A ilha é sua!

Bjs

Compondo o olhar ... disse...

achei dificil esta tertulia, mas não deixou de ser interessante, pois nos fez pensar e repensar e muito, não foi??
gostei de suas escolhas....
tbm estou participando, dá uma olhadinha lá.

Quase Blog da Li disse...

Amei sua abordagem sobre as ilhas!
Particularmente, nem pensar em viver numa ilha!
bjs
li

Pietro disse...

Sonia, many thanks for your translation which I've read with great interest. The subject is attractive indeed.
Have a wonderful Sunday!

Sofia disse...

Mãe, a postagem ficou MARAVILHOSA, muito original! Me lembro de ter lido os dois livros, A ilha perdida e Robinson Crusoé, viiiiiirge, faz tempo!!Parabéns pelos comentários, o pessoal gostou bastante!!
E obrigada por me levar junto com vc para a ilha deserta!! Mas sem minha filhota canina, a Lisinha, eu não vou!! rsrsrsrs
Beijos com saudades...te amo muito!!!

Pietro disse...

Sonia, thanks so much for the information (and the link) about Classical Archives: I'll certainly take a look to that interesting site. At the moment it's quite difficult (sometimes impossible!) for me to watch, upload and download videos because I still have a slow connection. Now I'm thinking to buy an internet key for a faster connection which is, the provider says, about 7 mega.
Have a very nice week ahead!

luzdeluma disse...

Sônia, não sabia que estava com este blogue! Virava e mexia ia no LEAVES OF GRASS dar uma olhadinha pra ver se tinha atualizado e nada! E agora, acho, entendi tudo errado e até deixei um comentário no outro blogue, dizendo que iria favoritar o blogue do seu amigo. Achei que iria atualizar lá, no blogue dele duas vezes ao mês.
Cheguei aqui, neste blogue pelo link que a Elma disponibilizou no blogue dela e estou a me refrescar nas suas histórias, nos livros que leu, iguais aos meus! (rs*)
Amore, eu sou rata de praia, trabalho indiretamente no mar e quando piso em terra, não sabe o alívio que sinto ao rever as pessoas que amo. Quando pensei em ir para essa ilha deserta e permanecer por 10 anos, sem conforto, modernidade e levando somente 5 coisas, pensei: é o fim do mundo!
Por isso resolvi nao ir! Mesmo assim, listei lá as 'coisas' que levaria, a começar por "Deus" que não é uma coisa, mas algo que trago dentro de mim, pra onde vou!
O restante seria: um amor, água, cobertor, caixa de primeiros socorros e uma bananeira.
Não vou explicar porque vou levar a bananeira, o comentário já está imenso, mas pode ir lá saber o porque a levaria! (rs*)
Boa semana! Beijus

Arquivo

Seguidores